Acesse nosso site para saber das mais recentes noticias e informações da região - www.tvriachogrande.net - Para anunciar (11) 9945-4728 - reinaldo@riachogrande.net

 
Desde Março de 2006 você é o visitante nº
Contador

Unhas encravadas e com micoses exigem cuidados médicos

 

 Unhas em boas condições são atraentes e refletem a saúde do indivíduo, além de hábitos pessoais;
 Diagnósticos de unhas com micoses ou encravadas podem necessitar tratamentos orais, tópicos e até cirúrgicos. Nestes casos, os tratamentos precisam ser realizados por médicos dermatologistas que são os profissionais mais especializados nos tratamento das unhas.

As unhas não são apenas um complemento das mãos e pés. Elas têm como principal função proteger as pontas dos dedos e também aumentar a capacidade das mãos de pegar pequenos objetos, que denominamos de manipulação fina. Além do aspecto estético, que também inclui cuidados com a higiene e beleza, elas podem revelar o estado de saúde de uma pessoa, causar muito desconforto quando encravam ou crescem com alterações em sua formação, e também sinalizam carências de vitaminas, sais minerais e outros nutrientes, quando apresentam manchas esbranquiçadas.

“De acordo com o tipo de alteração identificada, os problemas mais simples podem ser resolvidos por um podólogo, especialmente quando se refere a cortar as unhas de forma mais adequada e os processos básicos de limpeza. Porém, para o diagnóstico de doenças, indicação de tratamentos orais ou tópicos, e realização de procedimentos cirúrgicos, que envolvem uso de bisturis e laser, estes devem ser sempre realizados prioritariamente por médicos dermatologistas, para garantir a segurança do paciente”, ressalta Dr. Joaquim Mesquita Filho (CRM-RJ 5259574-7), diretor da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e Chefe do setor de Cirurgia Dermatológica do Instituto de Dermatologia Prof. Azulay, Santa Casa da Misericórdia/RJ.

De acordo com o dermatologista, para evitar problemas com a saúde ou beleza das unhas, elas devem ser sempre mantidas limpas e bem aparadas. O ideal é que o corte seja mantido no formato levemente oval ou reto, para evitar encravamento ou descamação. No caso das mulheres, é importante deixar as unhas sem esmalte ao menos uma semana por mês, para que possam respirar. Caso ocorra dermatite de contato, o uso do esmalte deve ser interrompido. A acetona é outro agente a ser evitado, pois pode danificar a superfície da unha, tornando-a mais frágil e quebradiça. As cutículas não deveriam ser inteiramente removidas, pois constituem uma barreira protetora contra fungos e bactérias.

Problemas comuns x tratamentos

As unhas são lâminas queratinizadas que recobrem a última falange dos dedos, protegendo-os de atritos externos. A unha é uma placa retangular dura, formada por quatro camadas: matriz ungueal (Raiz), lâmina ungueal (corpo da unha), dobras laterais e borda livre. O maior eixo é longitudinal nas unhas das mãos e transversal nas unhas dos pés. Duas pregas laterais demarcam as bordas da unha, e parte visível termina em borda livre, tornando-se branca neste local devido ao contato com o ar.

Dentre os inúmeros sintomas que elas apresentam está a micose, um tipo de infecção causada por fungos, que podem causar pouco ou nenhum sintoma, mas deixam as unhas esbranquiçadas, ocas e grossas e, às vezes, favorecem o encravamento. Os problemas comuns que afetam a saúde e a beleza das unhas são:

Unha encravada: ocorre quando uma das pontas da unha, ao crescer, literalmente “penetra” na pele ao seu redor. O processo decorre de um aumento na pressão sobre a unha ou suas pregas, causado, principalmente, pelo ato de cortá-las de forma errada ou usar sapatos apertados ou pontiagudos. O encravamento se caracteriza pela inflamação e vermelhidão dos cantos da unhas que podem, até mesmo, formar um tecido inflamando que secreta pus e provocar dores com intensidade variada. A unha encravada pode ser classificada em Grau I (só há queixa de dor); Grau II (além da dor, há uma secreção sanguínea ou seropurulenta) e Grau III (dor, secreção e hipertrofia da área acometida).

Casos mais leves de unha encravada (Grau I) podem se tratados com métodos conservadores, que incluem tratamentos com antibióticos ou antiinflamatórios tópicos, colocação de algodão entre a unha e a borda lateral e uso de órteses acrílicas. Nos casos mais graves (Grau II e III), são indicadas cirurgias que retiram a parte da matriz e lâmina da unha envolvidas no processo de encravamento, da borda ungueal lateral hipertrófica e do tecido inflamado. Estas cirurgias só devem ser realizadas por médicos. Para prevenir a unha encravada, recomenda-se evitar sapatos apertados; arredondar a borda das unhas ao aparar e evitar cortar em excesso.

Unha em telha: é caracterizada pelo aumento da curvatura transversa, com as bordas laterais paralelas ao eixo longitudinal (da raiz a ponta das unhas), deixando-a com o aspecto similar ao de uma telha. O tratamento pode ser feito de forma conservadora, com a colocação de lâminas flexíveis que fazem pressão sobre a placa ungeal e diminuem a curvatura, ou com a cirurgia.

Unha em pinça: apresenta uma distrofia com hipercurvatura transversa, que aumenta ao longo do eixo longitudinal da sua formação. Nas extremidades, suas bordas apertam os tecidos moles, que são pinçados. O tratamento é semelhante ao da unha em telha.

Hematoma subungeal: é um trauma agudo sofrido na região da unha – decorrente da queda de um objeto, por exemplo – que provoca dor severa. Normalmente os casos leves não requerem tratamentos.

Verrugas: são tumores benignos causados por infecção pelo HPV. Elas podem crescer em quaisquer dos tecidos moles ao redor das unhas. Podem ser tratadas com ácidos tópicos, quimioterapia, crioterapia e imunoterapia.

Sobre a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD)

Fundada em 1988, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) atua nas áreas de Cirurgia Dermatológica e procedimentos relacionados, por meio da promoção do ensino, pesquisa, realização de congressos e eventos científicos. A Cirurgia Dermatológica é uma área da Dermatologia que engloba todos os procedimentos realizados na pele e tecido celular subcutâneo, sejam eles diagnósticos, cirúrgicos, cosmiátricos ou oncológicos.

A SBCD atua somente segundo normas éticas e padrões técnicos rigorosamente aprovados pela comunidade científica mundial. Com 1500 associados, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica está entre as maiores sociedades de Dermatologia do mundo.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica é formada apenas por associados altamente qualificados, detentores de título de especialista e aprovados por rigoroso concurso e prova realizada e certificada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Associação Médica Brasileira (AMB).

 



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Todos os direitos autorais ,textos, imagens , obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem à www.riachogrande.net ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual e de imagens.
Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a citação da fonte utilizada.
A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.