Desde Março de 2006 você é o visitante nº
Contador

Especialista do Hospital Assunção explica o que é o AVC e como prevenir a doença

 
Doença ainda acomete as pessoas com faixa etária acima dos 40 anos, mas os jovens não podem se descuidar

 
 
Muitas pessoas ainda não sabem, mas segundo os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde, as doenças cerebrovasculares ainda são as principais causas de morte no Brasil e por isso merecem atenção. Em 2013, foram cerca de 100 mil óbitos causados por essas doenças, mas com a atenção e o atendimento correto, podem ser evitadas.

Entre as doenças está o AVC (acidente vascular cerebral), mais conhecida como derrame, que registra o maior número, cerca de 68 mil mortes anualmente. Os principais fatores de risco são o hábito de fumar, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, a hipertensão arterial e a obesidade, além de fatores genéticos.

“O tratamento preventivo envolve o cuidado e controle desses fatores de risco, além da necessidade de seguir uma alimentação saudável e praticar esportes. Além disso, é importante orientar a população de que as situações acarretadas pelo AVC podem ser lidadas de maneiras mais tranquilas, principalmente com a ajuda de um atendimento multidisciplinar, que são essenciais para que a recuperação e o retomada ao dia a dia do paciente seja o maisconfortável possível”, explica Dra. Tatiane Pan, neurologista e coordenadora do Centro de Neurologia Clínica do Hospital Assunção.


Segundo a especialista, o AVC não acomete apenas pessoas mais velhas, com o passar do tempo tem atingido a população mais nova. Um dos motivos é o estilo de vida que é adotado atualmente.


1.       O que caracteriza um AVC?

Para todos fiquem atentos a doenças, a Dra. Tatiane Pan responde sete questões sobre o tema.


O AVC (acidente vascular cerebral), também conhecido como "derrame", é a lesão do cérebro decorrente de uma ruptura (hemorrágico) ou obstrução (isquêmico) das artérias que irrigam o sistema nervoso central. Pode-se ainda ouvir o termo AVE (acidente vascular encefálico), que é apenas um termo anatomicamente mais adequado, porém sem diferença no uso cotidiano.


2.       Quais são os cuidados que uma pessoa pode ter aos 20 anos que ajudariam a evitar um AVC?

Os principais riscos de um AVC são: hipertensão arterial, diabetes mellitus, colesterol e triglicérides elevados, tabagismo, arritmias cardíacas, infarto do miocárdio, obesidade, apneia do sono e sedentarismo. Um jovem de 20 anos não costuma apresentar esses quadros. Caso apresente, deve tratá-los com rigor. Geralmente, pacientes jovens devem ser estimulados a um estilo de vida saudável, com dieta rica em frutas, verduras e legumes, praticar atividade física com frequências e evitar a obesidade. Além disso, é a faixa etária na qual geralmente começam a fumar, o que deve ser evitado.

3.       Aos 30 anos, por exemplo, quais são as principais recomendações para a prevenção do problema?

 
= Não faz atividade física regular? Faça com frequência.

 
= Não se alimenta de forma adequada? Alimente-se com uma dieta saudável, rica em frutas, verduras e legumes.

=Fuma? Pare!

Não fuma? Não comece!

= Está obeso? Perca peso!

4.       O que uma pessoa na faixa dos 40 anos deve fazer e/ou observar para a prevenção de AVCs?

 
A prevenção é a citada acima, a partir dos 40 anos. Nessa faixa etária já se recomenda uma avaliação clínica não só para o AVC, mas preventiva geral. 

5.       Quais são os cuidados que você recomendaria a uma pessoa na faixa dos 50/60 anos?

 
Faça um acompanhamento clínico regular de todos os fatores de risco já mencionados e siga as mudanças no estilo de vida recomendadas.

 
6.       A idade é um fator de risco no caso do AVC?

O avanço da idade, um histórico familiar de doença cardiovascular ou cerebrovascular e a menopausa são chamados fatores de risco não modificáveis para o AVC. Quanto mais avançada à idade, maior o risco. Se há histórico familiar, o risco aumenta. Após a menopausa, as mulheres tendem a um risco semelhante ao dos homens. Os fatores de risco modificáveis são aqueles descritos acima, como obesidade e tabagismo.

 
7.       Há diferença na prevenção para homens e mulheres? Se sim, quais?

Sim. As mulheres têm uma particularidade que é a ocorrência de enxaqueca com aura. A sua existência associada ao uso de anticoncepcionais orais aumenta o risco de AVC. Além disso, as gestantes devem ter rigor no controle de pressão durante o pré-natal, principalmente aquelas com mais de 35 anos. Mulheres que tiveram pré-eclâmpsia e eclampsia têm risco aumentado para AVC no futuro.

 
Centro de Neurologia Clínica do Hospital Assunção

O Hospital Assunção, da Rede D’Or São Luiz, conta com um Centro de Neurologia Clínica que tem como objetivo oferecer um atendimento completo e especializado à pacientes com doenças crônicas neurológicas como Alzheimer, Parkinson, epilepsia, esclerose múltipla, que sofreram um Acidente Vascular Cerebral (AVC), mais conhecido como derrame, e até mesmo de enxaqueca e dor de cabeça crônica que necessitam de um acompanhamento focado e multidisciplinar. Além de disponibilizar de especialistas como cardiologista e endocrinologista, tratarão dos pacientes que tem hipertensão, diabetes, colesterol ou qualquer doença que pode ou já desencadeou um problema neurológico.

Os atendimentos são realizados de segunda a sextas-feiras. Para agendar consulta, basta entrar em contato pela Central de Marcação de Consultas: (11) 3040-9260.

Conheça mais o Hospital Assunção:


Informações para a imprensa:
 
HD Comunicação

Marcella Pinheiro|marcella.pinheiro@hdpr.com.br | (11) 3514 0707

Ivan Verona| ivan.verona@hdpr.com.br|(11) 3514 0706

 
 

 




 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Para anunciar Fixo: (11)4101-9740 / (11) 7771-8810 ID: *125*109713 - Email: reinaldo@riachogrande.net